Osvaldo Pessoa – Aula 9 – Tradições de Pesquisa na Astronomia Antiga (3/4)

3. Teorias Geocinéticas na Astronomia

Ao examinarmos a astronomia do séc. IV, deixamos de mencionar as opiniões de Heráclides de Ponto (c. 388-310 a.C.), contemporâneo de Aristóteles. São dele as idéias de que a Terra gira em torno de seu próprio eixo (e portanto a esfera das estrelas é fixa), e de que Vênus e Mercúrio giram em torno do Sol. Uma das razões pelas quais a hipótese de que a Terra gira não foi aceita é que tal hipótese parecia implicar que corpos em queda sofreriam um desvio (para oeste), assim como asnuvens. Quanto ao movimento de Vênus e Mercúrio, trata-se da primeira proposta envolvendo epiciclos.

No séc. III, a abordagem matemática continuou tendo bastante influência na astronomia, que foi marcada por duas novas idéias: a hipótese heliocêntrica de Aristarco de Samos (310-230 a.C.) e desenvolvimento da idéia de epiciclo, com Apolônio.

As únicas obras que restaram de Aristarco apresentam um método para se medirem as distâncias da Lua e do Sol. No entanto, vários autores mencionam sua hipótese heliocêntrica, segundo a qual o Sol e a esfera das estrelas estariam fixas e a Terra circularia em torno do Sol. Salientou também que a esfera das estrelas deve estar muitíssimo distante, para explicar porque não se observava a “paralaxe” das estrelas: se a Terra se desloca no espaço, seria de se esperar que o ângulo em que as estrelas aparecem (por exemplo, em relação ao pólo Norte) tivesse uma pequena variação ao longo do ano (a paralaxe só seria observada por Friedrich Bessel em 1840). Aristarco também aceitava a hipótese de Heráclides, de que a terra gira em torno de seu próprio eixo.

O único outro astrônomo importante que aceitou a hipótese heliocêntrica foi Seleuco da Selêucia (c. 190-130 a.C.). A resistência em se aceitar as idéias “geocinéticas” (ou seja, de movimento da Terra) de Aristarco envolveu quatro motivos: (i) A concepção aristotélica do movimento natural dos corpos graves sugeria que o centro do universo coincidia com o centro da Terra. (ii) O argumento de que, se a Terra estivesse se movendo, haveria um efeito visível no movimento de objetos no ar. (iii) A ausência de paralaxe estrelar. (iv) O surgimento do modelo dos epiciclos.

2 comentários em “Osvaldo Pessoa – Aula 9 – Tradições de Pesquisa na Astronomia Antiga (3/4)

  1. Os chineses descobrem o Saros intervalo de 18 anos 11 dias e 8 horas apos o qual a Terra o Sol e a Lua retornam aproximadamente as mesmas posicoes relativas. Termina a construcao de Stonehenge cuja ultima fase de edificacao tem inicio por volta de 2280 a.C. observatorio astronomico do periodo megalitico localizado no condado de Wiltshire 13 km ao norte de Salisbury na Inglaterra onde sao feitas observacoes do Sol e da Lua.

  2. business disse:

    Ha 400 anos ao direcionar seu telescopio para os ceus ate entao esses instrumentos eram usados essencialmente para a navegacao o astronomo italiano e professor de matematica na Universidade de Padua Galileu Galilei 1564-1642 iniciava uma serie de observacoes que entre outras coisas comprovariam a tese de que a Terra gira em torno do Sol. E ate hoje essas sao as bases do metodo cientifico..Ate a guinada dos telescopios de Galileu acreditava-se que o Sol os planetas e as estrelas giravam em torno da Terra que imovel seria o centro do Universo. Desde entao existe o mito de que ele teria dito sobre a Terra ao se afastar da mesa onde assinara sua retratacao Mas que ela gira gira..Fonte Jornal O Globo 1 8 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s