Osvaldo Pessoa – Aula 8 – Medicina e Método em Galeno (2/3)

2. A Estrutura de Teorias Científicas

Ao longo do curso, iremos discutir aspectos gerais da estrutura de teorias científicas.Para preparar essa discussão, será útil enfocarmos algumas teorias específicas, o que ilustrarátambém a variedade de tipos de teorias que existem. Nosso primeiro estudo de caso será aFisiologia Galênica, que se caracteriza por ser uma teoria de tipo teleológica. A obra dereferência é seu Do Uso das Partes do Corpo.30

Ao caracterizar uma teoria científica, podemos destacar suas teses centrais (“núcleoduro”, na terminologia de Lakatos31) e as teses periféricas (cujo abandono não afetariasignificantemente a estrutura da teoria). Essas teses podem ser mais empíricas (envolvendoobservações ou constatações experimentais), ou pedem ser mais teóricas e gerais. Uma teoria,tomado em sentido lato (o que inclui, além das teses teóricas e empíricas, também dadosexperimentais, metodologia, técnicas, valores, etc.), também inclui uma metodologia ouheurística. Vale destacar, também, quais são as evidências favoráveis à teoria e asdesfavoráveis. Chamaremos estas últimas de problemas, que podem ser teóricos (às vezes sãochamadas de “anomalias”, mas em geral só são identificados muito tempo depois que a teoriaé proposta) ou metodológicos. Por fim, devemos considerar que uma teoria científica em geralfaz parte de uma tradição de pesquisa (“programa de pesquisa”), que se esforça por conservarum certo número de teses centrais. Nesse sentido, é interessante destacar os antecessores dateoria científica sendo analisada, assim como os opositores da teoria, que formariam umatradição de pesquisa rival.

 

30 GALENO, C. (1994), De l’Utilité des Parties du Corps Humain, in Galien – Oeuvres Médicales Choisies I, trad.C. Daremberg e notas A. Pichot, Gallimard, Paris (orig. em latim: 180 d.C.).

31 LAKATOS, I. (1979), “O Falseamento e a Metodologia dos Programas de Pesquisa Científica”, in LAKATOS, I.& MUSGRAVE, A. (orgs.), A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento, Cultrix, São Paulo, pp. 109-243(orig. em inglês: 1970).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s