Mestre Shinran – a fé, misericórdia e o paraíso.

shinran

Shinran e Doguen coincidiram , no século XIII, na crença de que a salvação do mundo era impossível sem a própria salvação, e que esta era a que salvaria o mundo inteiro.

O mestre Shinran insistiu na fé absoluta em Amida, a encarnação da misericórdia budista. “Somente a fé no salvará – nos diz – uma vez que é impossível adivinhar a intenção de Amida, pois se encontra além do nosso entendimento. O bem, o mal, a verdade, a falsidade etc., são conceitos que nos impedem de entrar diretamente na fé. Abandoná-los nos fará chegar a ter um contato direto com Amida. ” Trascrevemos um parágrafo de uma de suas obras:

Se uma pessoa boa vai para o paraíso, como não pode ir para ali uma pessoa má? Comumente se diz o contrário: se uma pessoa má vai para o paraíso, como não pode ir uma pessoa boa? Mas isso não é justo, embora pareça. Uma pessoa bora, ao cerr em si mesma, não tem fé em Amida; entretanto, uma pessoa que já não crê em si mesma, mas somente na miserciórdia de Amida, é a que pode ir ao verdadeiro paraíso. Nós somos todos incapazes de nos salvar, qualquer que seja o ato que façamos p ele não nos salvará. Somos tão miseráveis que Amida tem compaixão de nós. Amida quer salvar especialmente os maus, por isso digo: se uma pessoa boa vai para o paraíso, como não poderá ir uma pessoa má? SHINRAN, Tanni-sho ( Tanny-sho é o florilégio do mestre Shinran, compilado por um de seus discípulos, Yuien, no século XIII).

OSHIMA, Hitoshi. O pensamento japonês. Editora escuta. 1992. p. 43-4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s